O que é Cápsula em Farmacologia?

A cápsula é uma forma farmacêutica sólida muito utilizada na indústria farmacêutica para a administração de medicamentos. Ela consiste em um invólucro rígido ou flexível, geralmente feito de gelatina ou polímeros, que contém uma substância ativa ou um conjunto de ingredientes farmacêuticos. A cápsula é projetada para ser ingerida oralmente e liberar o medicamento de forma controlada no organismo. Neste artigo, discutiremos a composição, a funcionalidade e os diferentes tipos de cápsulas utilizadas na farmacologia.

Composição e Funcionalidade da Cápsula em Farmacologia

As cápsulas em farmacologia são compostas por um invólucro e um conteúdo. O invólucro, geralmente feito de gelatina, é responsável por proteger o conteúdo do medicamento e facilitar a sua ingestão. A gelatina utilizada na fabricação das cápsulas é de origem animal, mas também existem cápsulas vegetais disponíveis para pessoas que seguem uma dieta vegetariana ou vegana.

O conteúdo da cápsula pode variar de acordo com o medicamento e a forma de administração desejada. Pode ser uma substância ativa isolada, como um princípio ativo, ou uma combinação de ingredientes farmacêuticos, como no caso de cápsulas de liberação prolongada. Além disso, o conteúdo pode ser apresentado na forma de pó, grânulos, líquido ou até mesmo microesferas. A cápsula permite que o medicamento seja protegido contra a ação do ambiente externo, como a umidade e a luz, e seja liberado de forma controlada no trato gastrointestinal.

Tipos e Administração de Cápsulas em Farmacologia

Existem diferentes tipos de cápsulas utilizadas na farmacologia, cada uma com características específicas. As cápsulas de gelatina dura são as mais comuns e apresentam um invólucro rígido. Elas são geralmente preenchidas com pó ou grânulos e são facilmente dissolvidas no estômago, liberando o medicamento.

Outro tipo de cápsula é a de gelatina mole, que possui um invólucro flexível. Essas cápsulas são frequentemente utilizadas para a administração de líquidos ou substâncias oleosas. A gelatina mole é menos resistente à umidade e ao oxigênio, o que pode afetar a estabilidade do medicamento.

Além disso, existem as cápsulas de liberação prolongada, também conhecidas como cápsulas de liberação modificada. Essas cápsulas são projetadas para liberar o medicamento de forma gradual ao longo do tempo, proporcionando uma ação prolongada. Isso é especialmente útil para medicamentos que necessitam de doses espaçadas ao longo do dia.

A administração das cápsulas em farmacologia é feita por via oral, com a ingestão das cápsulas inteiras com água. É importante seguir as instruções do médico ou farmacêutico quanto à dose e frequência de administração. Em alguns casos, as cápsulas podem ser abertas e o conteúdo pode ser misturado com alimentos ou líquidos, mas isso deve ser feito apenas sob orientação médica.

As cápsulas em farmacologia desempenham um papel importante na administração de medicamentos, oferecendo uma forma segura e eficaz de liberar substâncias ativas no organismo. Através da compreensão da composição, funcionalidade e diferentes tipos de cápsulas disponíveis, é possível utilizar essa forma farmacêutica de maneira adequada e obter os benefícios terapêuticos desejados. Sempre consulte um profissional da saúde para obter informações específicas sobre a cápsula e o medicamento que está sendo utilizado.

Você não pode copiar o conteúdo deste site!

Plano Basic Pharmus MC

Experimente por 30 dias grátis

Ideal para farmácias individuais que precisam de uma solução online para escrituração, independente de outros sistemas.

Plano Premium

Recomendado para farmácias independentes e distribuidoras